Buscar

|
Virtual Aluno
|
|
24 2244-4044
É inegável o papel central do orientador na formação do estudante de pós-graduação. A UCP, por meio do seu Programa de pós-graduação em Psicologia, abordou o tema falando de um docente que prestou sabiamente essa função, deixando um legado que já completa 50 anos de docência na Instituição. O evento também foi uma forma de homenagear o professor Helmuth Kruger. A palestra O vínculo do orientador-orientando como um dos pilares da formação em pós-graduação foi transmitida ao vivo, nesta quarta-feira (03.06), na TV UCP, o canal no Youtube da Universidade.

Para o coordenador do PPGPSI, Prof. Luiz Antônio Monteiro Campos, um programa de pós-graduação atende a um duplo objetivo: o de formar docentes para o ensino de nível superior e novos pesquisadores, tendo como grande diferencial na trajetória do estudante o papel do seu orientador.

“O projeto pedagógico do curso, incluindo estrutura e componentes curriculares, e também o corpo docente são fatores relevantes para o alcance desses objetivos. Há, no entanto, outro aspecto-chave para o sucesso desse desafiador processo de formação, a qualidade do vínculo estabelecido entre orientador e orientando. Trouxemos a reflexão do papel que o orientador adquire no processo de aprendizagem do estudante de pós-graduação ao apresentar-se como modelo de referência e de suporte para o seu desenvolvimento acadêmico, homenageando o Professor Helmuth pelos 50 anos de UCP”, disse.



A abertura ficou a cargo do reitor da Universidade, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa, que parabenizou e agradeceu o docente destacando seu legado a nível mundial.

“Estamos hoje aqui para a homenagem pelos 50 anos de magistério do Professor Helmuth na nossa Universidade, com certeza uma grande alegria para todos nós estarmos comemorando com o senhor com a presença de pessoas marcantes. São 50 anos dedicados a nossa Instituição, entre outras, de magistério; como pesquisador e aquele que produz conhecimento, enriquecendo não só aqueles que estão mais próximos, mas também o mundo inteiro com suas produções científicas”, disse o reitor. 

A palestra foi ministrada pelo Prof. Dr. Virgílio Bastos, Superintendente de Avaliação e Desenvolvimento Institucional da Universidade Federal da Bahia, e pela Profª. Drª. Sonia Gondim, Psicóloga e Professora Titular aposentada do Instituto de Psicologia da Universidade Federal da Bahia. Depois do encontro, foi a vez do homenageado da noite compartilhar a sua experiência sobre o tema proposto. 

“Na orientação existe a necessidade, ao meu ver, de uma relação mais pessoal. Uma relação em que o próprio orientando, em face do orientador, está disponível para a experiência daquilo que seria uma vivência de encontro, e não uma experiência. É importante, porque o que caracteriza uma relação interpessoal de uma relação de orientação quando ela é executada em sua devida dimensão de profundidade e amplitude, é exatamente essa possiblidade aberta por ambos os participantes dessa relação interpessoal de se modificarem”, comentou Helmuth em sua fala.

O conteúdo da palestra O vínculo do orientador-orientando como um dos pilares da formação em pós-graduação pode ser conferido no canal no Youtube da Universidade.